Colaboradores

De um modo geral, os nossos colaboradores são alunos que no âmbito dos seus projectos de licenciatura ou mestrado, desenvolvem trabalhos connosco. Há ainda alguns alunos que se identificam com o que fazemos e que, de modo voluntário, integram o grupo onde ajudam na dinamização das actividades e dão asas às suas próprias ideias. Depois, mais tarde ou mais cedo todos vão às suas vidas… e passam a engrossar a secção dos ex-colaboradores. A todos o nosso bem hajam e o desejo do maior sucesso.

ADRIANA MARTINS

Nascida na terra de Camilo, sempre achei que o meu futuro passaria por algo relacionado com as letras. No entanto, o meu crescente interesse pelas ciências e natureza rapidamente me mostraram que biologia era o caminho. E, portanto, aqui estou, 2º ano de Biologia Aplicada, ainda a tentar perceber o que quero fazer no futuro. Os meus pais sempre me infundiram o amor pela natureza, trilhos e desconhecido, isso, e o gosto pelas canções do Zeca e Godinho. “Orientista” e catequista em part-time, devoradora de livros e chocolate e com uma pequena veia de escritora, sou também empenhada, curiosa e com uma vontade enorme de pôr mãos à obra. Apesar de adorar a interação com pessoas e a Comunicação de Ciência, sempre fui a mais tímida e comunicação não é a área onde me sinto mais à vontade. Esta sou eu, a sair da minha zona de conforto.

ALEXANDRA BASTOS

Nascida no berço e criada no campo, sempre tive muita afinidade com a natureza. Pôr as mãos na terra sempre me alegrou, para além da música e dos livros. Mas foi a necessidade de entender como funcionam os pequenos “bichinhos” e as magníficas plantas, que me levou a enveredar pela Biologia, sem qualquer arrependimento. Ainda que não seja muito tagarela, achei que o STOL possa ser a melhor maneira de começar a ampliar os meus horizontes e aprimorar as minhas capacidades, principalmente comunicativas, não deixando para trás o contacto com a natureza.

ANA CATARINA OLIVEIRA

Ao fim de tanto tempo a arruinar jantares de família e passeios pacatos com informação diversa não requisitada, pensei que já estava na hora de investir de forma útil este manancial de entusiasmo pela ciência – e o STOL pareceu-me um ambiente ideal para o fazer. Quero viver numa sociedade em que a curiosidade é encorajada, não dissuadida, em que o conhecimento científico não só é produzido, mas também disponibilizado de maneira acessível a toda a gente. Ou isso ou tudo isto é uma desculpa elaborada para finalmente ter uma plataforma para falar incessantemente de plantas sem sofrer repercussões sociais.

CARLOS BARROS

O meu nome é Carlos, tenho 20 anos e sou de Braga. Não gosto de estar parado e gosto de participar em várias atividades, não só porque são novas experiências e aventuras, mas também porque fico sempre a ganhar com o novo conhecimento que cada uma delas me oferece. Gosto imenso de Biologia. Foi algo que desde pequeno me suscitou interesse e se veio a mostrar a minha paixão. Gosto muito de jardinar e plantar tem-se tornado, a pouco e pouco, um dos meus hobbies favoritos. E é com isto em mente que pretendo participar nesta atividade. Sinto-me bastante entusiasmado com todo este projeto e pelos demais que dele podem advir. Estou pronto para arregaçar as mangas e por mãos à obra! 

CATARINA SOUZA

Diretamente da cidade maravilhosa, uma curiosa nata, estou sempre disposta a aprender e a divulgar as minhas descobertas. Enquanto curso o 2º ano da licenciatura em Bioquímica, continuo fascinada pela botânica e as suas formas, cheiros e texturas variadas. Conhecida pelos meus amigos como doida por cogumelos, também tenho grande paixão pelos fungos e o seu papel fundamental na comunicação vegetal. Quanto a comunicação, é a científica que pretendo desenvolver com a minha participação na STOL, e quem sabe despertar este interesse em outros amantes da natureza. 

GONÇALO REIS

Sou natural de Viana do Castelo e desde pequeno sempre fui muito proativo e interessado em compreender tudo, em conhecer o porquê por detrás das coisas. Penso que ainda há imenso a descobrir em todo lado e nas  mais diversas áreas. Considero a falta de comunicação de conteúdos de Ciência um grande problema na sociedade, daí a necessidade de projetos como este. Sou uma pessoa animada e interessada e por isso que decidi embarcar neste projeto.

JOÃO ABREU

Cresci numa pequena aldeia rodeado pela natureza e em contacto com ela. Desde pequeno que me “amarrei” aos animais e a minha paixão por eles levou-me a desejar seguir medicina veterinária. No entanto, acabei por enveredar pela Biologia e cada vez mais sinto que foi a melhor decisão que tomei. Acredito que a maioria dos problemas que enfrentamos hoje em dia como sociedade se deve à falta de comunicação, ou à distorção da informação, e por isso considero essenciais os projetos que se foquem neste aspeto. Um dos temas que me desperta curiosidade e força de vontade para agir é o combate às alterações climáticas, até por ser algo imprescindível à manutenção da biodiversidade. Considero-me uma pessoa comunicativa e interesso-me muito pela Comunicação de Ciência. 

LETÍCIA FIGUEIREDO

Nasci em São Paulo e sempre me interessei muito pela Biologia. O meu passatempo preferido é tirar fotos dos animais que encontro e identificá-los, além da jardinagem. A biodiversidade, a inteligência e o comportamento animal fascinam-me. Por amar tanto a vida do planeta estou ciente dos problemas ambientais que ameaçam os ecossistemas, e um dos meus principais objetivos é trabalhar em conservação e contribuir para a preservação das espécies e dos seus habitats.
Quero adquirir informação e utiliza-la para melhorar a sociedade e o ambiente, pois a conservação depende muito do conhecimento obtido para que haja uma conscientização do público sobre os temas e o que deve ser feito. Para isso é necessário participar ativamente, colocar as mãos à obra e comunicar a Ciência.

LIA SANTOS

Natural do Porto. Sempre à procura de novas aventuras, alargar horizontes e testar limites, em constante evolução. Desde pequena que cresço com curiosidade de saber como e porque é que as coisas acontecem sobre tudo.  Como bioquímica espero contribuir significativamente para a comunidade e dar a conhecer factos e ideias. Poder descobrir e entender o processo da Natureza é um privilégio. Colaborar com o STOL será mais um desafio de modo a contribuir para a comunicação de ciência de uma forma clara, coerente e necessária para todos.

MARCO ALVES

Sou natural da cidade que deu nome a Portugal – Porto – e desde cedo tenho curiosidade em perceber os processos da natureza que nos tornam e mantêm vivos, assim como a diversidade de vida existente. Compreender as questões da Biologia e ver além do que é visível, é o que realmente me fascina. 
Durante o meu percurso percebi que o meu habitat futuro seria um laboratório, nomeadamente a investigar temas das ciências biomédicas, como o cancro. Entre alguns cursos percebi que Biologia era o ideal e aqui estou no 2º ano da licenciatura em Biologia Aplicada. Considero-me uma pessoa divertida, dinâmica e comunicativa, que acredito serem características representativas do STOL e por isso imerjo nesta aventura. Para me conhecerem melhor, poderia dizer o meu signo, mas acho mais útil dizer-vos a minha casa de Hogwarts: Gryffindor!

MARGARIDA ARAÚJO

O meu nome é Margarida e sou natural do Berço de Portugal. Frequento o segundo ano da licenciatura em Biologia Aplicada. Cresci rodeada de natureza, de biodiversidade e do melhor que elas tem para nos oferecer. Com isto, ganhei um enorme sentido de proteção para com a natureza e uma vontade de passar a minha vida a estudar e conhecer melhor este “mundo” na Terra.

Sou uma pessoa bastante proativa, dedicada e tento sempre fazer tudo com perfeição de modo a dar sempre o melhor de mim. Gostaria de trabalhar no futuro com ecologia e conservação e entro neste projeto com enorme vontade de dar o meu contributo, para além de aprender mais sobre Ciência.

MARIA INÊS MARTINS

Nasci e fui criada na terra que desafia as leis da fonética – Mogege, sou multitasker, fotógrafa amadora de fotos espontâneas e faladora profissional.
Depois de uma candidatura que passeou entre as Engenharias, passando pelo Teatro e pelas Ciências da Comunicação, lá me consegui decidir pela Medicina, estando agora num feliz 2º ano. Com hobbies que incluem passar fins de semana a dormir no chão, trabalhar a natureza e perder-me no meio do mato ao tentar correr a ler um mapa, o STOL pareceu-me o projeto ideal para aliar os meus gostos pela natureza e  pela multimédia e comunicação.
Embora o meu caminho fuja um pouco à Escola de Ciências (UMinho), espero que o STOL me proporcione bons momentos de aprendizagem e exploração dos vários fatores da minha personalidade.

PATRÍCIA ARAÚJO

Natural de Braga, desde pequena que sempre tive muito curiosidade em relação ao mundo em que vivo e que sempre me despertou interesse em saber mais e mais. Penso que ainda há imenso a descobrir no nosso planeta e muito mais fora dele, pelo que estou bastante interessada em Biologia Marinha e Astrobiologia. A falta de comunicação de conteúdos de Ciência gera vários problemas na sociedade e é por isso que a Comunicação da Ciência é muito importante. Considero me uma pessoa animada e interessada, estando por isso muito entusiasmada em embarcar neste projeto.

PATRÍCIA COELHO

Apesar de nascida no Porto e criada numa cidade, a Biologia sempre foi a minha paixão. Desde pequenina que brincava aos cientistas e dizia que iria criar plantas e ser uma grande cientista, o que continua a ser o meu maior objetivo. Sempre que podia ia para a terra, o quintal da minha avó ou o monte mais próximo, observar os animais, as plantas e tudo o que ela tem de melhor, aumentando cada vez mais o meu gosto e curiosidade pela área.
Agora, encontro-me no segundo ano da licenciatura em Biologia Aplicada e tenho interesse em várias áreas como a botânica a biologia marinha e a virologia, a minha preferida. Acredito que mediante os desafios ambientais e climáticos presentes na sociedade, nós, biólogos e futuros biólogos, através da comunicação de ciência, seremos capazes de divulgar a nossa mensagem, e para mais um bom biólogo nunca recusa um desafio.

RAFAEL PINTO

Cresci sempre em contacto com a Natureza, fosse a ajudar na horta dos meus avós ou a explorar as florestas à procura de bichos, tendo desde cedo desenvolvido uma paixão pela Biologia. Tenho um grande interesse pela entomologia e gostava de trabalhar nas áreas da conservação e da investigação. A necessidade urgente de impedir a destruição da nossa biodiversidade é a minha principal motivação em contribuir para a procura por mais conhecimento e para a sensibilização das comunidades. Embarco neste projeto com um grande entusiasmo e com vontade de aprender mais e contribuir o máximo em prol da Ciência. 

Sami Benkhellat

Nasci na capital brasileira e hoje encontro-me na cidade berço. Sempre gostei de observar o mundo à minha volta, admirando as suas paisagens e a vida que nele há. Assim, vim parar ao curso de Biologia, com diversas áreas para serem exploradas.  O STOL é uma grande oportunidade para viver experiências novas e entender o aspeto da comunicação da ciência. Para que possamos melhorá-la e combater a desinformação que vemos nos dias de hoje. Estou confiante que o projeto me vai ajudar a traçar o meu caminho nesta ciência tão abrangente.