Colaboradores

De um modo geral, os nossos colaboradores são alunos que no âmbito dos seus projectos de licenciatura ou mestrado, desenvolvem trabalhos connosco. Há ainda alguns alunos que se identificam com o que fazemos e que, de modo voluntário, integram o grupo onde ajudam na dinamização das actividades e dão asas às suas próprias ideias. Depois, mais tarde ou mais cedo todos vão às suas vidas… e passam a engrossar a secção dos ex-colaboradores. A todos o nosso bem hajam e o desejo do maior sucesso.

ADRIANA MARTINS

Nascida na terra de Camilo, sempre achei que o meu futuro passaria por algo relacionado com as letras. No entanto, o meu crescente interesse pelas ciências e natureza rapidamente me mostraram que biologia era o caminho. E, portanto, aqui estou, 2º ano de Biologia Aplicada, ainda a tentar perceber o que quero fazer no futuro. Os meus pais sempre me infundiram o amor pela natureza, trilhos e desconhecido, isso, e o gosto pelas canções do Zeca e Godinho. “Orientista” e catequista em part-time, devoradora de livros e chocolate e com uma pequena veia de escritora, sou também empenhada, curiosa e com uma vontade enorme de pôr mãos à obra. Apesar de adorar a interação com pessoas e a Comunicação de Ciência, sempre fui a mais tímida e comunicação não é a área onde me sinto mais à vontade. Esta sou eu, a sair da minha zona de conforto.

ANA CLARA CAVALVANTE

Sou brasileira e morei no Rio de Janeiro até aos meus 20 anos. Desde sempre tive contacto com a natureza, pois vivi muito tempo em uma região de praia e reservas ecológicas. Adoro observar a interação dos seres vivos com o meio ambiente e analisar o comportamento social dos animais. A minha maior diversão quando criança era assistir a diversos documentários sobre a vida selvagem e ler livros sobre o tema. Certamente fui muito influenciada pela minha família. Esses atos simples despertaram-me um desejo enorme de aprender e pesquisar mais e mais sobre os seres vivos. Esse desejo não morreu com o passar dos anos. Hoje sou aluna do primeiro ano do curso de Biologia Aplicada da Universidade do Minho. Como futura bióloga gostaria de incitar esses mesmos sentimentos nas gerações futuras, divulgando a ciência de forma simples, prática, correta e interessante para todos.

ÂNGELA FREITAS

Sou natural de Guimarães e desde sempre que me entusiasmo com o que épequenino e quero aprender como tudo funciona. Tenho uma paixão muito grande pela Natureza. Deste modo ingressei em Biologia Aplicada na Universidade do Minho com o sonho de seguir a vertente da Microbiologia e entrar, assim, no mundo da investigação. Considero-me uma pessoa muito curiosa, proativa e sempre disposta a aprender coisas novas. Adicionalmente, nutro um interesse especial pela escrita criativa e comunicação, e considero-me uma pessoa criativa e com espírito de liderança. Ademais, gosto de me desafiar e tenho sempre uma mente aberta a tudo, daí ser incrível fazer parte deste grande projeto.

BRUNA PINTO

Desde pequena que uma das coisas que sempre me definiu foi a curiosidade pelo mundo que me rodeia. À medida que fui crescendo também cresceu comigo o gosto pela Biologia e por querer entender cada vez mais sobre o que ela engloba. Por isso, em 2019, decidi frequentar o curso de Biologia Aplicada. Dentro desta licenciatura encontrei muitos tópicos interessantes, os quais tinha vontade de estudar e de ser capaz de comunicar aos outros. Neste projeto encontrei abertura para expor ideias e, em equipa, fazermos com que estas sejam transmitidas de forma mais acessível. Assim, pretendo dar a conhecer todos os fascínios que a Biologia nos consegue fornecer, desde plantas a animais. Por outras palavras, vamos descomplicar o complicado!

CARLOS BARROS

O meu nome é Carlos, tenho 20 anos e sou de Braga. Não gosto de estar parado e gosto de participar em várias atividades, não só porque são novas experiências e aventuras, mas também porque fico sempre a ganhar com o novo conhecimento que cada uma delas me oferece. Gosto imenso de Biologia. Foi algo que desde pequeno me suscitou interesse e se veio a mostrar a minha paixão. Gosto muito de jardinar e plantar tem-se tornado, a pouco e pouco, um dos meus hobbies favoritos. E é com isto em mente que pretendo participar nesta atividade. Sinto-me bastante entusiasmado com todo este projeto e pelos demais que dele podem advir. Estou pronto para arregaçar as mangas e por mãos à obra! 

DIANA SOUSA

Tive a sorte de crescer num meio pequeno, Amares, berço de António Variações, numa época em que as redes sociais, o imediatismo e as “fake news” não tornavam o mundo num lugar um pouco estranho e por vezes hostil.
Foi me dado tempo. Tempo para crescer, brincar e explorar tudo aquilo que me rodeava. Cresci a brincar no meio do campo, sem pressa. Sou curiosa por natureza e é na natureza que repouso. Sou também muito volátil, absorvo muito do que me rodeia e estou em constante mutação. Apaixonada pela arte, em todas as suas vertentes. Encontro muitas vezes um paralelismo entre a arte e a Natureza: bela e caótica, não há ordem na Natureza. 
Foi o amor pela Natureza e por todas as formas de Vida que me fez escolher um caminho. Estudo Biologia Aplicada, na Universidade do Minho e ainda não sei muito bem o que quero fazer daqui para a frente.(Bem) Comunicar ciência é uma necessidade, é imperativo que a ciência chegue às massas. Uma sociedade informada é uma sociedade que evolui.

FILIPA OLIVEIRA

Desde cedo que nasceu em mim esta paixão pela natureza e biodiversidade, cujo fascínio e beleza eram difíceis de ignorar. Implementei o escutismo na minha vida desde nova, o que só impulsionou essa faísca de querer conhecer e perceber sempre mais sobre o que me rodeia. Sou natural do Berço de Portugal e estou no segundo ano da licenciatura em Biologia Aplicada. Sou uma pessoa bastante proativa, criativa, dedicada e persistente. Nunca rejeito um bom desafio e estou sempre com a mochila pronta para uma nova aventura. Como futura bióloga reconheço que os cientistas têm um papel cada vez mais preponderante na sociedade. Desta forma considero, por isso, que é de elevada importância comunicar conhecimento de forma simples e clara, num mundo onde cada vez mais aumenta a dificuldade em filtrar o excesso de informação. 

GONÇALO REIS

Sou natural de Viana do Castelo e desde pequeno sempre fui muito proativo e interessado em compreender tudo, em conhecer o porquê por detrás das coisas. Penso que ainda há imenso a descobrir em todo lado e nas  mais diversas áreas. Considero a falta de comunicação de conteúdos de Ciência um grande problema na sociedade, daí a necessidade de projetos como este. Sou uma pessoa animada e interessada e por isso que decidi embarcar neste projeto.

JOÃO ABREU

Cresci numa pequena aldeia rodeado pela natureza e em contacto com ela. Desde pequeno que me “amarrei” aos animais e a minha paixão por eles levou-me a desejar seguir medicina veterinária. No entanto, acabei por enveredar pela Biologia e cada vez mais sinto que foi a melhor decisão que tomei. Acredito que a maioria dos problemas que enfrentamos hoje em dia como sociedade se deve à falta de comunicação, ou à distorção da informação, e por isso considero essenciais os projetos que se foquem neste aspeto. Um dos temas que me desperta curiosidade e força de vontade para agir é o combate às alterações climáticas, até por ser algo imprescindível à manutenção da biodiversidade. Considero-me uma pessoa comunicativa e interesso-me muito pela Comunicação de Ciência. 

LIA SANTOS

Natural do Porto. Sempre à procura de novas aventuras, alargar horizontes e testar limites, em constante evolução. Desde pequena que cresço com curiosidade de saber como e porque é que as coisas acontecem sobre tudo.  Como bioquímica espero contribuir significativamente para a comunidade e dar a conhecer factos e ideias. Poder descobrir e entender o processo da Natureza é um privilégio. Colaborar com o STOL será mais um desafio de modo a contribuir para a comunicação de ciência de uma forma clara, coerente e necessária para todos.

LUÍS ISMAEL

Não sei descrever-me muito bem. Gosto de fazer demasiadas coisas ao mesmo tempo e gasto demasiado tempo a pensar quantas coisas mais eu gostaria de fazer.  Nutro um especial carinho pelo reino vegetal, da imponência de uma árvore à delicadeza dos líquenes que nela crescem. Gosto de inventar problemas e encontrar soluções, aplicar métodos e descobrir alternativas, desenhar experiências e colocá-las em prática. Relativizo bastante e tenho tendência para piadas secas. Por exemplo, tenho pena que a Biologia venha a ser substituída pela História, ao passo que as espécies estão a migrar para a última.

MARIANA MELO

Nascida e criada em Ponte de Lima, sempre tive interesse e curiosidade pela natureza e por tudo a ela associado. Foi este interesse que me levou a ingressar no curso de Biologia Aplicada na Universidade do Minho, onde aprendi muitas curiosidades sobre tudo aquilo que a Biologia engloba. Outra das razões pela qual decidi entrar neste curso foi o meu sonho de menina, de um dia trabalhar num jardim zoológico, pois sempre tive uma grande afinidade pelos animais e pela Natureza. Considero-me uma pessoa simples, acessível, tímida, curiosa e sempre disposta a aprender novas coisas, pois aprender coisas novas deiza-noscapaz de enfrentar mais e novos desafios. Futuramente, conseguir expor, a todos aqueles dispostos a aprender, o quão incrivelmente cativante a Biologia pode ser. 

MARIANA PEREIRA

Considero-me uma pessoa bastante comunicativa e sociável e quando me disseram que poderia juntar o melhor dos dois mundos – Comunicação e Ciência – soube logo que me deveria inscrever neste projeto. Apesar disso, considero que tenho algumas dificuldades no que toca a expressar-me e a comunicar para grandes públicos, porém essa foi mais uma razão para entrar no projeto STOL e me desafiar. Amante de praia, não fosse a minha terra beijada pelo mar (Gaia) e bailarina desde pequena, sempre juntei num passo duas das minhas paixões: a natureza e a fotografia. O gosto pela Biologia não nasceu comigo, mas rapidamente troquei os livros de histórias pela bata e pelos laboratórios. Com isto, espero poder usar o melhor de mim, para despertar nos outros o cientista que existe em todos nós. 

PATRÍCIA ARAÚJO

Natural de Braga, desde pequena que sempre tive muito curiosidade em relação ao mundo em que vivo e que sempre me despertou interesse em saber mais e mais. Penso que ainda há imenso a descobrir no nosso planeta e muito mais fora dele, pelo que estou bastante interessada em Biologia Marinha e Astrobiologia. A falta de comunicação de conteúdos de Ciência gera vários problemas na sociedade e é por isso que a Comunicação da Ciência é muito importante. Considero me uma pessoa animada e interessada, estando por isso muito entusiasmada em embarcar neste projeto.

VERA OLIVEIRA 

Quando me perguntam sobre o que despertou a minha curiosidade em relação à ciência, a resposta é sempre a mesma: já está nos meus genes! Desde bem pequena que me lembro de acompanhar a minha mãe nas mais diversas experiências científicas que elaborava, sempre numa ânsia e correria de aprender mais e mais sobre o mundo que me rodeava. Atualmente finalista da Licenciatura de Biologia Aplicada e com um fraquinho pelas artes da banda desenhada, tomei como minha missão divulgar ciência, para que tanto miúdos como graúdos também se apaixonem por este mundo que me é tão importante.