Colaboradores

ADRIANA MARTINS

Nascida na terra de Camilo, sempre achei que o meu futuro passaria por algo relacionado com as letras. No entanto, o meu crescente interesse pelas ciências e natureza rapidamente me mostraram que biologia era o caminho. E, portanto, aqui estou, 2º ano de Biologia Aplicada, ainda a tentar perceber o que quero fazer no futuro. Os meus pais sempre me infundiram o amor pela natureza, trilhos e desconhecido, isso, e o gosto pelas canções do Zeca e Godinho. “Orientista” e catequista em part-time, devoradora de livros e chocolate e com uma pequena veia de escritora, sou também empenhada, curiosa e com uma vontade enorme de pôr mãos à obra. Apesar de adorar a interação com pessoas e a Comunicação de Ciência, sempre fui a mais tímida e comunicação não é a área onde me sinto mais à vontade. Esta sou eu, a sair da minha zona de conforto.

ANA CLARA CAVALVANTE

Sou brasileira e morei no Rio de Janeiro até aos meus 20 anos. Desde sempre tive contacto com a natureza, pois vivi muito tempo em uma região de praia e reservas ecológicas. Adoro observar a interação dos seres vivos com o meio ambiente e analisar o comportamento social dos animais. A minha maior diversão quando criança era assistir a diversos documentários sobre a vida selvagem e ler livros sobre o tema. Certamente fui muito influenciada pela minha família. Esses atos simples despertaram-me um desejo enorme de aprender e pesquisar mais e mais sobre os seres vivos. Esse desejo não morreu com o passar dos anos. Hoje sou aluna do primeiro ano do curso de Biologia Aplicada da Universidade do Minho. Como futura bióloga gostaria de incitar esses mesmos sentimentos nas gerações futuras, divulgando a ciência de forma simples, prática, correta e interessante para todos. 

ANA MARGARIDA OLIVEIRA

Ver o mundo de uma forma diferente e questioná-lo a toda a hora e momento foi algo que nasceu comigo! Conhecer os animais, a forma como cresciam e floriam as plantas e perceber os mais infímos pontos do organismo humano foram temas que sempre me fascinaram! O meu nome é Margarida, nasci e cresci na Cidade Berço e estudo Biologia Aplicada na Universidade do Minho. Considero-me uma pessoa criativa, simpática, empenhada, preocupada e comunicativa. Enquanto estudante de Biologia Aplicada considero fulcral conduzir o conhecimento a toda a comunidade, desde os mais jovens aos adultos, de forma dinâmica, criativa e empreendedora!

ANA RITA OLIVEIRA

Em tempos em que tudo e mais alguma coisa está à distância de um clique é imprescindível desmistificar a imagem do cientista, quebrar barreiras entre a comunidade científica e a restante população numa tentativa de destruir preconceitos e combater a iliteracia científica. Apenas recentemente vim a descobrir que já faço um pouquinho comunicação de Ciência há algum tempo através das redes sociais, tendo usado estas plataformas para informar e educar todos aqueles que vêem os meus posts tanto sobre ciência, como sobre os mais diversos temas tais como feminismo, ecologia, denúncia de atos ilegais ou imorais. A Ciência sempre me fascinou e o preconceito com o “cientista maluco” nunca me afastou. Considero-me uma pessoa bastante comunicativa e comunicar é algo que me dá muito prazer fazer.

FILIPA OLIVEIRA

Desde cedo que nasceu em mim esta paixão pela natureza e biodiversidade, cujo fascínio e beleza eram difíceis de ignorar. Implementei o escutismo na minha vida desde nova, o que só impulsionou essa faísca de querer conhecer e perceber sempre mais sobre o que me rodeia. Sou natural do Berço de Portugal e estou no segundo ano da licenciatura em Biologia Aplicada. Sou uma pessoa bastante proativa, criativa, dedicada e persistente. Nunca rejeito um bom desafio e estou sempre com a mochila pronta para uma nova aventura. Como futura bióloga reconheço que os cientistas têm um papel cada vez mais preponderante na sociedade. Desta forma considero, por isso, que é de elevada importância comunicar conhecimento de forma simples e clara, num mundo onde cada vez mais aumenta a dificuldade em filtrar o excesso de informação. 

ISABEL LUÍSA CRUZ

Lisboeta, saltitou na vida adulta por aqui e por ali, até que “aterrou” no Minho numa aldeia com oceano, rio e montanha.
Bióloga de formação, adora o mar e mergulhar em reinos de fantasia. Descobriu que gosta de fazer crónicas e colabora na promoção de uma Associação Musical local. Sempre a achar que há muito mais a descobrir.

JOANA FIGUEIREDO

Desde muito cedo que dizia que queria seguir Biologia e assim o fiz, encontro-me agora no primeiro ano da licenciatura e a gostar de cada minuto. Sou muito curiosa e isso leva-me a pesquisar e ler sobre todo o tipo de temas e a querer saber sempre mais.
A comunicação da Ciência é algo muito importante na sociedade e tendo eu um enorme gosto em escrever e fotografar, este projeto (STOL) despertou-me logo interesse. Sempre me disseram que sou muito boa a explicar “coisas” e a comunicar de forma a que toda a gente entenda, também considero que tenho jeito para escrever e sinto-me bastante mais confortável neste mundo. Como tenho um bocado de fobia de falar em público, sem dúvida que me sinto mais à vontade a falar com crianças, mas isto era algo que também gostava de mudar.

JOÃO ABREU

Cresci numa pequena aldeia rodeado pela natureza e em contacto com ela. Desde pequeno que me “amarrei” aos animais e a minha paixão por eles levou-me a desejar seguir medicina veterinária. No entanto, acabei por enveredar pela Biologia e cada vez mais sinto que foi a melhor decisão que tomei. Acredito que a maioria dos problemas que enfrentamos hoje em dia como sociedade se deve à falta de comunicação, ou à distorção da informação, e por isso considero essenciais os projetos que se foquem neste aspeto. Um dos temas que me desperta curiosidade e força de vontade para agir é o combate às alterações climáticas, até por ser algo imprescindível à manutenção da biodiversidade. Considero-me uma pessoa comunicativa e interesso-me muito pela Comunicação de Ciência. 

MARIANA PEREIRA

Considero-me uma pessoa bastante comunicativa e sociável e quando me disseram que poderia juntar o melhor dos dois mundos – Comunicação e Ciência – soube logo que me deveria inscrever neste projeto. Apesar disso, considero que tenho algumas dificuldades no que toca a expressar-me e a comunicar para grandes públicos, porém essa foi mais uma razão para entrar no projeto STOL e me desafiar. Amante de praia, não fosse a minha terra beijada pelo mar (Gaia) e bailarina desde pequena, sempre juntei num passo duas das minhas paixões: a natureza e a fotografia. O gosto pela Biologia não nasceu comigo, mas rapidamente troquei os livros de histórias pela bata e pelos laboratórios. Com isto, espero poder usar o melhor de mim, para despertar nos outros o cientista que existe em todos nós. 

PATRÍCIA ARAÚJO

Natural de Braga, desde pequena que sempre tive muito curiosidade em relação ao mundo em que vivo e que sempre me despertou interesse em saber mais e mais. Penso que ainda há imenso a descobrir no nosso planeta e muito mais fora dele, pelo que estou bastante interessada em Biologia Marinha e Astrobiologia. A falta de comunicação de conteúdos de Ciência gera vários problemas na sociedade e é por isso que a Comunicação da Ciência é muito importante. Considero me uma pessoa animada e interessada, estando por isso muito entusiasmada em embarcar neste projeto.

VERA OLIVEIRA 

Quando me perguntam sobre o que despertou a minha curiosidade em relação à ciência, a resposta é sempre a mesma: já está nos meus genes! Desde bem pequena que me lembro de acompanhar a minha mãe nas mais diversas experiências científicas que elaborava, sempre numa ânsia e correria de aprender mais e mais sobre o mundo que me rodeava. Atualmente finalista da Licenciatura de Biologia Aplicada e com um fraquinho pelas artes da banda desenhada, tomei como minha missão divulgar ciência, para que tanto miúdos como graúdos também se apaixonem por este mundo que me é tão importante.